Brasil 3 x Venezuela 1
Spread the love

Brasil engrena na etapa final, bate a Venezuela de virada e segue 100% nas Eliminatórias

Após etapa inicial fraca, na qual Eric Ramírez marcou para a Vinotinto, Raphinha entra bem e Marquinhos, Gabigol e Antony anotaram no triunfo por 3 a 1 nesta quinta-feira

Venezuela x Brasil

Seleção Brasileira teve mudanças ousadas após o intervalo (Lucas Figueiredo/CBF)COMPARTILHE00Vinícius Faustini 07/10/2021 22:33Caracas (VEN)

Seleção Brasileira suou para deslanchar. Porém, após um primeiro tempo decepcionante, a equipe comandada por Tite deslanchou com a entrada de Raphinha e conseguiu a virada para 3 a 1 sobre a Venezuela nesta quinta-feira, em jogo realizado no Estádio Olímpico de La UCV, em Caracas. Marquinhos, Gabigol e Antony marcaram para a equipe canarinha, enquanto Eric Ramírez fez o gol da Vinotinto, em jogo válido pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022.https://imasdk.googleapis.com/js/core/bridge3.484.0_en.html#goog_821942116SELEÇÃO: Antony revela sentimento de chegar na Seleção a um ano da Copa: ‘Não tenho pressa’ – Este vídeo começará em0:080:070:15

O Brasil volta a campo no domingo (10), quando enfrenta a Colômbia às 18h (de Brasília). A equipe tem 27 pontos em nove partidas.
https://imasdk.googleapis.com/js/core/bridge3.484.0_en.html#goog_821942118SELEÇÃO: Com Arana, Gabigol e Gabriel Jesus, Tite confirma time que jogará contra a Venezuela – Este vídeo começará em0:020:130:15+ Veja a tabela das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa

QUE DERRAPADA!

Além de não conseguir tomar as rédeas da partida, a Seleção Brasileira deixava brechas para a Venezuela avançar. Habilidoso, Soteldo dava trabalho à defesa a cada investida e não demorou a fazer a diferença. O camisa 10 abriu caminho e cruzou da direita. Aproveitando que Fabinho e Marquinhos escorregaram, Eric Ramírez subiu e completou para o gol: 1 a 0. 

SEGUE ESCORREGANDO…

O Brasil, porém, seguia “escorregando”, tanto no sentido literal quanto em seus erros. Mesmo tendo maior posse de bola, o Brasil ficava longe de apresentar a criatividade pedida por Tite. O meio de campo com Fabinho e Gerson ficava “engessado”, previsível e as chances ficavam escassas.

Danilo alçou e Lucas Paquetá arriscou. Na sobra, Gabriel Jesus, com o gol aberto, mandou para fora. Em seguida, Paquetá esticou e Everton Ribeiro finalizou. O camisa 11 tentou a jogada com Gabigol, mas a zaga venezuelana se antecipou, em lance no qual a bola caprichosamente parou no travessão. Comandada por Leonardo González, a Venezuela conduzia o jogo com tranquilidade. Em nova oportunidade, Machís encheu o pé e Alisson caiu para defender.E MAIS:


AO ATAQUE!

A busca por levar o time à frente fez Tite depositar suas fichas nos atacantes de ofício desde o intervalo: Everton Ribeiro foi sacado para a entrada de Raphinha. O “novato” se empenhou nas disputas de bola e disputar cruzamentos. Contudo, a Seleção tropeçava ao definir as jogadas.

A alternativa passou a ser a via aérea. Aos 11 minutos, o grito de gol ficou preso na garganta. Arana cobrou falta e Thiago Silva cabeceou para a rede, mas o gol foi anulado por impedimento.

Em seguida, Tite promoveu a entrada de Vinicius Júnior no lugar de Lucas Paquetá, o que tornou o Brasil mais incisivo em jogadas pelas pontas. Diante de um forte bloqueio, a Seleção chegou ao empate na bola aérea. Raphinha cobrou escanteio e Marquinhos surgiu livre para estufar a rede aos 25 minutos. 

RAPHINHA, O “DESAFOGO” 

No ritmo de Raphinha, a equipe canarinha aumentou seu ímpeto e imprensou a Venezuela contra sua defesa. O camisa 17 aproveitou brecha na direita e bateu rasteiro, fazendo Graterol se esticar para salvar.

SELEÇÃO, ENFIM, DESLANCHA

Pelos lados, o Brasil encontrava maior velocidade. Vinicius Júnior abriu jogada pela esquerda e, após receber passe, finalizou rasteiro para defesa de Graterol. Gabigol tentou aproveitar o rebote e foi derrubado pelo goleiro e o árbitro marcou pênalti (confirmado pelo VAR após três minutos). O próprio Gabigol partiu e cobrou firme, com categoria, aos 39.

A Venezuela ensaiou uma reação com tentativas de Soteldo. Contudo, Alisson não chegou a ser ameaçado. O alívio veio na reta final. Raphinha passou como quis pela direita e cruzou. Antony surgiu entre os zagueiros e estufou a rede.

FICHA TÉCNICA

VENEZUELA 1×3 BRASIL

Data-Hora: 07-10-21 – 20h30 (de Brasília)
Estádio: Olímpico de la UCV, em Caracas (VEN)
Árbitro: Kevin Ortega (PER)
Assistentes: Michael Orue (PER) e Jesús Sanchéz (PER)
VAR: Eber Aquino (PAR)

Cartões amarelos: Bello, Hernández (VEN), Marquinhos (BRA)
Cartões vermelhos: não houve

Gols: Eric Ramírez, 10/1T (1-0), Marquinhos, 25/2T (1-1), Gabigol, 39/2T (1-2), Antony, 50/2T (1-3)

VENEZUELA: Graterol; Hernández, Mejías (Chancellor, intervalo), Ferraresi e Óscar González; Rincón (Moreno, 28/2T), José Martínez (Edson Castillo, 19/2T), Soteldo e Machís (Córdova, 28/2T); Peñaranda (Bello, 13/2T) e Eric Ramírez. Técnico: Leonardo González 

BRASIL: Alisson, Danilo (Emerson, 31/2T), Marquinhos, Thiago Silva e Guilherme Arana (Alex Sandro, 46/2T); Fabinho, Gerson, Éverton Ribeiro (Raphinha, intervalo) e Lucas Paquetá (Vinicius Júnior, 17/2T); Gabigol e Gabriel Jesus (Antony, 31/2T). Técnico: Tite


Spread the love